Fortalecimento e inovação no setor foram assuntos de destaque no 35º CNSE

Durante os dias 15, 16 e 17 de maio, o 35º Congresso Nacional dos Sindicatos Empresariais do Comércio de Bens, Serviços e Turismo reuniu em Fortaleza os principais líderes das associações representativas do segmento para pensar soluções e novas iniciativas capazes de gerar desenvolvimento na área. Ao todo, 1200 pessoas participaram do evento, realizado pela Fecomércio-CE e o Sindilojas Fortaleza, dentre dirigentes sindicais, empresários, executivos, advogados e outros interessados de todos os estados do Brasil.

Um dos momentos mais importantes do Congresso foi a assinatura do convênio entre a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) para ampliação da oferta de linhas de crédito para empresas do setor no Nordeste e nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Na ocasião, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, o presidente do BNB, Romildo Rolim, e o presidente licenciado da Fecomércio CE e atual vice-presidente administrativo da CNC, Luiz Gastão Bittencourt, fizeram discursos que incluíram temas como a necessidade de fomentar o desenvolvimento nas regiões mais afastadas do centro do País, a importância do microcrédito e o papel do convênio também para gerar governança e desburocratização e não apenas para dar acesso ao crédito.

Em cinco palestras e quatro painéis, foram tratados assuntos relativos ao funcionamento e desenvolvimento das entidades sindicais e das empresas. Dentro todos os temas abordados, ficou em destaque a necessidade de fortalecimento e inovação no setor, tanto para que as entidades representativas ganhem mais força para defender os interesses de seus associados, quanto para todos estejam preparados para as mudanças de cenário que envolvem a sociedade e o mercado.

No âmbito sindical, o congresso trouxe discussões a respeito das mudanças que a reforma trabalhista impulsionou nas organizações sindicais, negociações coletivas de trabalho, as mudanças de cenário que exigem uma transformação radical na relação entre os sindicatos e seus representados, a integração entre os braços sindicais do comércio e meios de buscar a excelência no atendimento e encantar os clientes dessas organizações. Outros assuntos que tiveram espaço no evento foram a necessidade de gestores estarem atentos às transformações no mercado para garantirem o espaço de suas empresas, os danos causados pela pirataria, as transformações no mercado consumidor brasileiro e as novas tecnologias que podem auxiliar na gestão empresarial.

Fora do auditório principal, os congressistas participaram da primeira Expo Empresarial – Comércio, Serviço, Turismo, que reuniu diversas empresas e instituições que fornecem produtos e serviços para organizações do setor. A feira teve a participação de expositores de 26 estados, distribuídos em 36 stands, em uma área de 4,500 metros quadrados. O Sesc e o Senac/CE também marcaram presença com serviços, apresentações culturais, lazer e informação oferecidos gratuitamente aos congressistas e visitantes.